Abexim me confesso

Nós todos, homens, que neste mundo vivemos opressos pelos vários desprezos dos felizes e pelas diversas insolências dos poderosos - que somos todos nós neste mundo, senão abexins?
Fernando Pessoa, Outubro 1935

14.5.18

'À manhã' pelo GTESC

«Esta mulher não sossega. Desde que me cheguei ao pé dela que está com esta conversa dos bocanços. Só quer é bocanços. Não quer outra coisa. É bocanços, bocanços e mais bocanços.» Estragão (Trinta Cabelos) in À manhã, Cal, de José Luís Peixoto

Todas as personagens têm mais de 70 anos, nem parece. Ao vê-las e ouvi-las, é como se o Maio de 68 estivesse a florir no Alentejo...
É certo que Maria Clara teve o cuidado de substituir os 'bocanços" por 'beijocas', mas nem assim a brejeirice do texto foi prejudicada. Afinal, mesmo numa escola como a Secundária de Camões, é necessário ter em atenção o público para quem o espetáculo foi amadurecido...
Um espetáculo notável, com atores muito bem encenados e um excelente domínio do texto e do palco, em que, mais uma vez, Graça Gomes se excedeu... de tal modo que Maio de 68 floresce em todas as estações das nossas vidas.